fbpx
18.1 C
Belo Horizonte
05/22/2020
SMR Advogados

Política Nacional das Relações de Consumo

CDC- CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR LEI COMPLEMENTAR 8.078/90

Política Nacional das Relações de Consumo

Art. 4º A Política Nacional das Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo, atendidos os seguintes princípios: (“Caput” do artigo com redação dada pela Lei nº 9.008, de 21/3/1995)

I – reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor no mercado de consumo;

II – ação governamental no sentido de proteger efetivamente o consumidor:

  1. a) por iniciativa direta;
  2. b) por incentivos à criação e desenvolvimento de associações representativas;
  3. c) pela presença do Estado no mercado de consumo;
  4. d) pela garantia dos produtos e serviços com padrões adequados de qualidade, segurança, durabilidade e desempenho.

III – harmonização dos interesses dos participantes das relações de consumo e compatibilização da proteção do consumidor com a necessidade de desenvolvimento econômico e tecnológico, de modo a viabilizar os princípios nos quais se funda a ordem econômica (art. 170, da Constituição Federal), sempre com base na boa-fé e equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores;

IV – educação e informação de fornecedores e consumidores, quanto aos seus direitos e deveres, com vistas à melhoria do mercado de consumo;

V – incentivo à criação pelos fornecedores de meios eficientes de controle de qualidade e segurança de produtos e serviços, assim como de mecanismos alternativos de solução de conflitos de consumo;

VI – coibição e repressão eficientes de todos os abusos praticados no mercado de consumo, inclusive a concorrência desleal e utilização indevida de inventos e criações industriais das marcas e nomes comerciais e signos distintivos, que possam causar prejuízos aos consumidores;

VII – racionalização e melhoria dos serviços públicos;

VIII – estudo constante das modificações do mercado de consumo.

Art. 5º Para a execução da Política Nacional das Relações de Consumo, contará o poder público com os seguintes instrumentos, entre outros:

I – manutenção de assistência jurídica, integral e gratuita para o consumidor carente;

II – instituição de Promotorias de Justiça de Defesa do Consumidor, no âmbito do Ministério Público;

III – criação de delegacias de polícia especializadas no atendimento de consumidores vítimas de infrações penais de consumo;

IV – criação de Juizados Especiais de Pequenas Causas e Varas Especializadas para a solução de litígios de consumo;

V – concessão de estímulos à criação e desenvolvimento das Associações de Defesa do Consumidor.

  • 1º (VETADO).
  • 2º (VETADO).

Relacionados:

Os Direitos do Consumidor

Código de Defesa do Consumidor LEI Nº 8.078/90

ETIQUETAS:

Direitos do Consumidor, CDC, Fornecedor,Consumidor,Advogados em Direito do Consumidor,Contratos de Compra e Venda, produtos com Defeito, Cobranças Iindevidas, Procom, Procom BH, Porcom MG, Danos Morais,advogado especialista em Defesa do Consumidor, Direitos do Consumidor para Empresas, Indenização moral ao Consumidor,SERASA,SPC,Transtornos em viagens aéreas, rodoviárias, pacotes de turismo,Cláusulas abusivas em contratos,juros abusivos,

Incidência da Lei na Usúria na limitação de juros é afastada pelo STJ

Sinval M. Rodrigues

A marcha da insensatez: as redes sociais estão destruindo a sociedade

Sinval M Rodrigues

A Proteção à Saúde e Segurança no Direito do Consumidor

Sinval M. Rodrigues
SMR Advocacia.
Este site está de acordo com a Lei de dados do Brasil LGPDP - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, Lei nº 13.709/2018, e da união Europeia RGPD) (UE) 2016/679.

Este site usa cookies para funcionar com as informações pesquisadas. Aceitar Leia mais

Política de Privacidade & Cookies